Hoje é o Dia Internacional do Livro Infantil

sábado, abril 02, 2016 Iuçara Soares 0 Comentários


Países do mundo inteiro celebram hoje, 02 de abril, o “Dia Internacional do Livro Infantil”, em homenagem ao aniversário do autor dinamarquês Hans Christian Andersen, conhecido como o pai dos contos de fadas.


A data foi instituída, em 1967, pela International Board on Books for Young People (IBBY), uma organização sem fins lucrativos que representa uma rede internacional de pessoas com o objetivo de inspirar o amor pela leitura nos mais jovens.

A Celebração

Todos os anos, para celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil, a IBBY escolhe um tema e convida um autor de um de seus países membros para escrever uma mensagem para as crianças do mundo inteiro. Sendo que, a mensagem é acompanhada por um cartaz, especialmente, criado para a data por um ilustrador, também do país anfitrião.

Assim, com o tema “Era uma Vez”, o país convidado deste ano é o Brasil, sendo representado pelo famoso ilustrador e autor, Ziraldo, e pela escritora de livros infantis, Luciana Sandroni, que ao invés de uma mensagem de incentivo à leitura decidiu criar um conto especial para as crianças.

Era uma vez...

Era uma vez uma... Princesa? Não.
Era uma vez uma biblioteca. E também uma menina chamada Luisa, que foi à biblioteca pela primeira vez. A menina caminhava lentamente, puxando uma enorme mochila com rodas. Ela olhava ao redor para tudo com admiração: estantes e mais estantes cheias de livros ... mesas, cadeiras, almofadas coloridas, desenhos e cartazes nas paredes.
- Eu trouxe uma foto de mim mesma - disse ela timidamente para a bibliotecária.
- Maravilhoso, Luisa! Eu vou emitir seu cartão da biblioteca. Enquanto isso, você pode escolher um livro. Você pode escolher um livro para levar para casa, ok?
- Só um? - ela perguntou desapontada.
De repente, o telefone tocou e a bibliotecária deixou a menina com a difícil tarefa de escolher apenas um livro naquele mar de livros nas estantes. Luisa puxou a mochila e procurou, procurou até que encontrou o seu favorito: Branca de Neve. Era uma edição de capa dura, com belas ilustrações. Com o livro na mão, ela puxou a mochila novamente e, quando ela estava saindo, alguém bateu no seu ombro. A menina se virou e quase caiu para trás de surpresa: era ninguém menos do que O Gato de Botas com o seu livro nas mãos, ou melhor, nas patas!
- Bom dia! Como vai sua tia? - brincou o gato fazendo uma reverência. - Luisa, você já não sabe tudo o que há para saber sobre essas histórias sobre princesas? Por que você não leva o meu livro, O Gato de Botas, que é muito mais divertido?
Luisa, espantada, com os olhos arregalados, não sabia o que dizer.
- Qual é o problema? O gato comeu sua língua? - ele brincou.
- Você é realmente O Gato de Botas?!
- Sou mesmo eu! Em pelo e osso! Bem, então, me leve para a sua casa e você saberá tudo sobre a minha história e a do Marquês de Carabás.
A menina, de tão perplexa, só fez que sim com a cabeça.
O Gato de Botas, num passe de mágica, voltou para o livro e, quando Luisa já estava saindo, alguém bateu em seu ombro de novo. Era ela: "branca como a neve, bochechas avermelhadas como o sangue, e cabelos negros como o ébano." Você sabe quem era?
- Branca de Neve!? - disse Luisa, completamente chocada.
- Luisa, me leve com você também. Essa edição - disse mostrando o próprio livro - é uma adaptação fiel da história dos irmãos Grimm.
Quando a menina estava se preparando para trocar de livro de novo, O Gato de Botas apareceu muito irritado:
- Branca de Neve, Luisa já decidiu. Volte para os seus seis anões.
- São sete! E ela não se decidiu coisa nenhuma! - exclamou Branca de Neve ficando vermelha de raiva.
Os dois encararam a menina esperando uma resposta:
- Eu não sei qual levar. Eu quero levar todos...
De repente, muito inesperadamente, a coisa mais extraordinária aconteceu: todos os personagens começaram a sair de seus livros: Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida e Rapunzel. Era um time de verdadeiras princesas.
- Luiza, me leve para casa com você! - Todas elas imploraram.
- Eu só preciso de uma cama para dormir um pouquinho - disse Bela Adormecida, bocejando.
- Apenas uma centena de anos, um pouquinho - zombou O Gato.
Cinderella começou - Eu posso limpar a sua casa, mas à noite eu tenho uma festa no castelo do...
- Príncipe! - gritaram todos.
- Na minha cesta eu tenho bolo e vinho. Alguém quer? - Ofereceu Chapeuzinho Vermelho.
Depois disso, surgiram mais personagens: O Patinho Feio, A Pequena Vendedora de Fósforos, O Soldadinho de Chumbo e A Bailarina.
- Luisa, podemos ir com você? Nós somos personagens de Andersen - perguntou o Patinho Feio, que não era assim tão feio.
- Sua casa é quentinha? - perguntou a Menina dos Fósforos.
- Ahhh, se tiver uma lareira, é melhor ficarmos por aqui... - comentou o Soldadinho com a Bailarina.
Então, inesperadamente, um lobo peludo, enorme, apareceu com dentes afiados, bem ali na frente de todos:
- O Grande Lobo Mau!!!
- Lobo, que boca grande você tem! - exclamou Chapeuzinho Vermelho por hábito.
- Eu vou te proteger! - disse o Soldadinho de Chumbo, muito corajoso.
Foi então que o Lobo Mau abriu sua enorme boca e ... Comeu todos? Não. Ele só bocejou por estar cansado e então disse muito tranquilamente:
- Calma, pessoal. Eu só queria dar uma ideia. Luisa poderia levar o livro, Branca de Neve, e nós poderíamos ir dentro de sua mochila, que é suficientemente grande para todos.
Todo mundo achou a idéia muito boa:
- Nós podemos Luisa? - perguntou a Menina dos Fósforos, que estava tremendo de frio.
- Tudo bem! - ela disse, abrindo a mochila.
Os personagens de contos de fadas fizeram uma fila e começaram a entrar:
- Primeiro as princesas!" exigiu Cinderela.
No último minuto, os personagens brasileiros também apareceram: Saci, Caipora, uma boneca de pano muito tagarela, um menino muito maluquinho, uma menina com uma bolsa amarela, outra com uma foto da bisavó colada no corpo, um reizinho mandão. Todos eles entraram.
A mochila estava mais pesada do que nunca. Os personagens eram tão pesados! Luisa pegou o livro, Branca de Neve, e a bibliotecária anotou no cartão.
Um pouco mais tarde, a menina chegou em casa muito feliz, e sua mãe gritou lá de dentro:
- Chegou, querida?
- Chegamos!

Luciana Sandroni

Saiba mais no site oficial do IBBY (em inglês).

Feliz Dia Internacional do Livro Infantil, leitores! :)

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!