Eros Grau é o mais novo imortal da Academia Paulista de Letras

sexta-feira, setembro 16, 2011 Iuçara Soares 0 Comentários


foto: divulgação
O ministro aposentado Eros Grau foi eleito, nesta quinta-feira, com 32 votos, para ocupar a cadeira número 11 na Academia Paulista de Letras.

A cadeira, que tem como patrono o inventor Bartolomeu Lourenço de Gusmão, já foi ocupada, entre outros, pelo poeta Cassiano Ricardo. Sendo que seu último ocupante foi o filósofo Milton Vargas, falecido no ano passado. 

Eros Grau é autor de dezenas de livros sobre direito, como "A ordem econômica na Constituição de 1988", mas publicou apenas um romance, "Triângulo no Ponto" pela editora Nova Fronteira, em 2008.

Formado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Grau exerceu a advocacia de 1963 a 2004, quando foi nomeado para o Supremo Tribunal Federal (STF). Atualmente, aposentado do STF, é livre-docente pela Universidade de São Paulo (USP).

Como um presente de boas-vindas, o colega Mauricio de Sousa homenageou o recém-imortalizado com uma ilustração.

foto: divulgação

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!

Novo Livro de García Márquez revela detalhes de sua vida e obra

terça-feira, setembro 13, 2011 Iuçara Soares 0 Comentários


“Eu não vim fazer um Discurso” é o título do mais recente livro do escritor e jornalista colombiano, Gabriel García Márquez. A obra contém detalhes sobre a vida do autor e sua família, além de falar sobre a produção de suas obras literárias.


Apesar do título, o livro traz uma compilação de discursos do escritor, de 1944 a 2007, nos quais o vencedor do Prêmio Nobel da Literatura fala sobre sua relação com a escrita e com os amigos, entre outros temas.

O primeiro discurso de Márquez foi aos 17 anos, para se despedir de seus colegas de colégio na formatura do ensino médio, em 1944. Na verdade, o título do livro foi retirado deste primeiro discurso.

A relutância do autor diante da oratória é expressa diversas vezes nos capítulos iniciais da obra. Em um deles, Márquez chega a descrever à tarefa de fazer discursos como “o mais aterrorizante dos compromissos humanos”. 

No entanto, com o passar dos anos, o escritor se mostra ao público como um profissional na arte do discurso. Sempre expressando, por meio de citações e argumentos, seu posicionamento político.

Como é possível observar em seu discurso na cerimônia de entrega do Prêmio Nobel de Literatura, na Suécia, em 1982, no qual o autor chama a atenção para a situação de seu país. 

"[...] Poetas e mendigos, músicos e profetas, guerreiros e malandros, todos nós, criaturas daquela realidade desaforada, tivemos que pedir muito pouco à imaginação, porque para nós o maior desafio foi a insuficiência dos recursos convencionais para tornar nossa vida acreditável. Este é, amigos, o nó da nossa solidão".

Gabriel García Márques / foto: AFP
Cada página do livro leva o leitor há compreender um pouco sobre a vida do autor, sua paixão pela Literatura, seu amor pelo Jornalismo, além das recordações de amigos queridos como Júlio Cortázar e Álvaro Mutis, que proporcionam alguns dos mais emocionantes e bem-humorados discursos da obra.

"[...] Volta e meia me perguntam como é que esta amizade conseguiu prosperar nestes tempos tão malvados. A resposta é simples: Álvaro e eu nos vemos muito pouco, e só nos vemos para ser amigos", diz Márquez no discurso em homenagem aos 70 anos de Álvaro Mutis. 

Em um de seus últimos discursos, em 2007, durante um Congresso Internacional de Literatura, em Cartagena das Índias, na Colômbia, Márquez conta um pouco sobre as dificuldades que passou antes de publicar o livro “Cem Anos de Solidão”. Segundo o autor, na época, sua mulher Mercedes era quem sustentava a casa, e eles mal tinham dinheiro para enviar o manuscrito pelo correio para o seu editor.

O livro “Eu não vim fazer um Discurso”, lançado pela Editora Record, contém 22 textos de Gabriel García Márquez em 128 páginas.

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!

XV Bienal do Livro Rio, um sucesso de público e faturamento

segunda-feira, setembro 12, 2011 Iuçara Soares 0 Comentários ,


A XV Bienal do livro encerra sua programação batendo o recorde de público ao receber, no Riocentro, nada menos que 670 mil visitantes.

Com uma programação cultural variada e dinâmica, o evento procurou agradar a todos os públicos, promovendo debates e bate-papos sobre os mais diversos temas, como o livro digital, os desafios da educação no Brasil, a mulher na literatura, a literatura brasileira e muitos outros.

foto:divulgação
Durante os onze dias do evento, a Bienal reuniu ao todo 113 autores brasileiros (além de 38 mediadores) e 21 estrangeiros, além dos 787 que participaram a convite de suas editoras, em espaços prestigiados pelo público, como Café Literário, Mulher e Ponto, Encontro com Autores, Conexão Jovem e Biblioteca Mirim.

“Ao final destes 11 dias podemos afirmar que a Bienal do Livro Rio 2011 entra para a história como a melhor de todos os tempos”, afirma Sônia Jardim, presidente do SNEL em Comunicado a Imprensa. “Uma programação cultural rica e diversificada, eventos voltados para os profissionais do livro e estandes grandiosos garantiram uma visitação recorde. Autores dos mais diversos perfis circularam pelos nossos corredores, trazendo um brilho inigualável ao evento”, completa.

Segundo os organizadores do evento, 76% dos visitantes compraram livros na Bienal, o que representa um faturamento de 58 milhões, 12% a mais que a edição passada, e um registro de 2,815 milhões de exemplares vendidos. E ainda dizem que brasileiro não tem o habito de ler.

Com mais de 13 mil “curtidas” no Facebook e 14 mil seguidores no Twitter, onde o evento ficou durante cinco dias entre os Trend Topics Rio de Janeiro, a 15ª Bienal do Livro Rio chega ao fim. Mas a próxima edição já está marcada para o dia 5 a 15 de setembro de 2013. 

Nos vemos lá!

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!

Esta noite na 15ª Bienal do Livro Rio

sexta-feira, setembro 09, 2011 Iuçara Soares 0 Comentários ,


Tendo ultrapassado a marca de 200 mil visitantes em apenas quatro dias de evento, a XV Bienal do Livro continua a todo vapor no Riocentro. 


Depois de realizar encontro com autores como Anne Rice, Luis Fernando Veríssimo, Gonçalo Tavares, Domício Proença Filho e até mesmo Hilary Duff, a Bienal ainda guarda grandes surpresas para os últimos dias do evento.

A começar pela participação do escritor canadense William P. Young, no “Encontro com Autores”, hoje, às 19h30, no Riocentro. Para aqueles que não o conhecem, Young é o autor do best-seller “A Cabana” publicado em 2008 pela editora Sextante.

foto:divulgação
Primeiro livro do autor, “A Cabana” se tornou um fenômeno de vendas, sendo traduzido para 34 idiomas e permanecendo durante três anos entre as primeiras colocações nas listas de mais vendidos.

Segundo Young, o romance teria sido escrito como um presente para os filhos no Natal, mas dois amigos o convenceram a publicar a obra, que trata de questões existenciais por meio da história de um homem que se encontra com Deus no mesmo local onde a filha foi assassinada.

E em um dos espaços mais visitados da Bienal, o “Café Literário”, os participantes Carlo Carrenho, Daniel Pinsky e Giselle Beiguelman discutem o tema “Apresentando o livro Digital”, mediado por Cristiane Costa, esta noite às 18h.

Logo depois, vem à sessão “Livros em Cena” com a participação do ator Marcello Antony que dará voz aos textos "Aula de Inglês", "Os Amantes", "Meu Ideal seria Escrever", "Um Braço de Mulher", "Homem no Mar", "O Afogado” e "Ai de ti Copacabana" do autor Rubem Braga.

foto:divulgação
A Bienal do Livro acontece no Riocentro até o dia 11 de setembro, e até lá, muitas atrações ainda estão por vir. Não percam!

Mais informações sobre a programação do evento no site oficial da Bienal do Livro Rio.

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!

Prêmio SESC de Literatura 2011/2012 prorroga inscrições

quinta-feira, setembro 08, 2011 Iuçara Soares 0 Comentários


Os escritores que ainda não estão participando da edição 2011/2012 do Prêmio SESC de Literatura, agora têm a sua chance, pois as inscrições para o concurso foram prorrogadas até 30 de setembro.

O Prêmio, promovido pelo SESC (Serviço Social do Comércio), é um concurso anual com o objetivo de premiar obras inéditas nas categorias “Conto” e “Romance”, destinadas ao público adulto, escritas em língua portuguesa.

Para participar do concurso, que visa revelar novos talentos e promover a literatura nacional, os autores devem ser brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil, maiores de 18 anos.

O vencedor de cada categoria terá sua obra publicada e distribuída comercialmente pela editora Record, com uma tiragem inicial de 2 mil exemplares, e irá receber os direitos autorais correspondentes à comercialização em livrarias. 

Além de ter seus livros distribuídos para toda a rede de bibliotecas e salas de leitura do SESC em todo o país e para escritores, críticos literários e formadores de opinião.

Mais informações no site oficial do Prêmio SESC de Literatura.

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!

Mil Biografias para Twitter

segunda-feira, setembro 05, 2011 Iuçara Soares 0 Comentários


Recentemente, foi lançado um inusitado livro com mil biografias de personalidades do mundo inteiro, só que escritas em apenas 140 caracteres, ao estilo Twitter. 

Segundo o autor da obra, o professor universitário e escritor paranaense Eduardo Diório Junior, o livro começou como um projeto virtual no Twitter, por meio do perfil @140em140, com o objetivo de resumir 140 grandes obras da literatura em 140 caracteres.

"A editora viu o projeto, achou interessante e me procurou para fazer um livro com biografias, no mesmo estilo do 140em140", afirmou o escritor em entrevista ao site Terra.

O resultado foi o divertido livro “Mil Biografias para Twitter”, publicado pela Matrix Editora, que inclui até mesmo uma autobiografia do autor. "Um brilhante e promissor escritor, futuro vencedor do Nobel de Literatura, além de ser bonito, inteligente, simpático e, sobretudo, modesto", assim se descreve Eduardo.

Entre as personalidades do livro também estão políticos, celebridades, jornalistas, atrizes, atletas, apresentadores, e muitos outros. Como o empresário Steve Jobs, que é descrito como “inimigo mortal de Bill Gates. Criou a Apple, o Machintosh, mouse, iMac, iPod, iTunes, iPhone, iPad, financiou a Pixar... Ele está entre nós”.

Confira mais algumas citações do livro no site Terra.

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!