Michel Houellebecq recebe o Prêmio Goncourt de Literatura

segunda-feira, novembro 08, 2010 Iuçara Soares 0 Comentários ,



Michel Houellebecq
O escritor francês Michel Houellebecq conquistou, hoje, o prêmio Goncourt, um dos mais prestigiados da literatura francesa, com o seu quinto romance "La Carte et le territoire" (O Mapa e o Território).

O anúncio do prêmio foi recebido sem surpresas pela crítica literária e pelos jornalistas, que se amontoavam no salão do pequeno restaurante parisiense onde se encontravam os concorrentes.

Há tempos Houellebecq era considerado o favorito ao Goncourt, tendo sido indicado ao prêmio por duas vezes. Sendo a primeira em 1998 com o livro “As Partículas Elementares” (Temas & Debates, 2004), e a segunda, sete anos mais tarde, com “A Possibilidade de uma Ilha” (Dom Quixote, 2006).

O romance "La Carte et le territoire", publicado pela editora Flammarion, é um retrato impiedoso de certas composturas contemporâneas no qual o escritor critica o mundo da arte e dos negócios, fazendo piada com tudo e todos, incluindo a ele mesmo.

"É um livro formidável, com muito humanismo, que capta as angústias, os sonhos, os delírios" da sociedade contemporânea. "E o Goncourt deve ser um espelho de seu tempo", disse Didier Decoin, secretário-geral da Academia Goncourt, ao anunciar o prêmio.

"La Carte et le territoire"
O escritor de 52 anos, que também atua como crítico, cineasta, fotógrafo e cantor de rock, foi protagonista de várias polêmicas ao longo de sua carreira pelas suas declarações irreverentes como aquelas contra o Islão "a religião mais idiota do mundo", segundo o autor.

Entre suas obras editadas em Portugal estão “Plataforma” (Bertrand, 2002) e “Extensão do domínio da Luta” (Quasi, 2006).

O Prêmio

Os Irmãos Goncourt
Na Paris do século XIX, os irmãos Jules e Edmond Goncourt almejavam reconstituir o ambiente dos salões literários do século anterior. Porém, em 1870, Jules faleceu, deixando Edmond para continuar a tarefa, no entanto, este morreu, em 1896, sem atingir seu propósito.

Mas a missão cultural dos dois irmãos pôde ser continuada, graças ao testamento de Edmond. No qual ele encarregou o amigo Alphonse Daudet de constituir, no ano da sua morte, uma sociedade literária, destinada a atribuir um prêmio anual de romance e uma renda anual aos dez membros da entidade a criar. Estes deveriam se reunir todos os meses e na reunião de Dezembro anunciar o vencedor.

A Sociedade Literária do Goncourt (Société Littéraire des Goncourt), fundada oficialmente em 1902, é composta por dez membros que se reúnem na primeira terça-feira de cada mês no restaurante Drouant, em Paris.

Para pertencer à sociedade é preciso ser escolhido pelos restantes elementos, após a morte ou saída de um destes. É condição obrigatória ser autor de língua francesa, o que permitiu em 1996 a eleição, por exemplo, do espanhol Jorge Semprún, que escreve habitualmente em francês.

0 comentários:

Deixe aqui seu comentário.

Responderei assim que possível.

Obrigada pela visita!